Entre perdas e derrotas, o (des)humano habita

     Como calar-me quando meu coração grita? Desejo anistia do meu eu. É a terceira vez na semana que meu corpo expulsa o alimento que ingeri. Contingências em plenitude. Tênue é a linha entre o emocional e a imunidade. A entrega dos pontos também sepulta. Sombra fria em que eu adendo. Corpo padecendo de febres e…

És tu

     Diante de mim tenho o pulsar sereno de um coração que dança. Em teu corpo perco meus olhos. Contemplo-te como ensinou-me Pablo Neruda: na totalidade do ser. Meus olhos se prendem na raiz dos teus cabelos negros e percorrem o roteiro até chegar em teus pés macios, que te trouxeram até mim. E torno…

Lembranças que não desacontecem o acontecido

       Há um mistério inquietante no silencioso do dia que ainda adormece. Encontro-me na janela do meu quarto, ansiando o seu despertar. Aqueço as mãos numa xícara de chá camomila quando ela chega trazendo, consigo, o reverso do crepúsculo. Vem de mansinho, fazendo da minha escuridão, intervalo, e (re)nascendo junto do sol como que por…

Eu eternizando-te

    Pouso meus olhos sob seu rosto. Eu demora. Lembro que Vincent Van Gogh, um dos deuses dos pincéis, dizia que as pessoas olhavam sua obra muito depressa. Eu compreensão. A beleza carece de contemplação. O olhar que apressa não é suficiente para colher o encanto místico que transcende a obra. Te olhar depressa é…

Castigo sem crime

     Eu observo a sua chegada. Cabelo castanho junto de uma boina preta. Leveza doce. Possui um toque de Audrey Hepburn com uma pitada de Elizabeth Taylor. Enquanto ela adentra no recinto dos livros, ele levanta a cabeça em sua direção. A magia ganha espaço.      Estou sentada na cafeteria da livraria. A cena que…

A contemplação do sagrado 

        Suspendo a continuação da minha estrada por imposição de um semáforo vermelho que impede meu retorno sem pausas. Enquanto troco a música que toca no carro, a imagem invade meus olhos. Uma mulher ruiva correndo em plena faixa de pedestres. Percebo em seu rosto breve a ânsia de chegar. Tenho encontrado gente…

A singularidade que amedronta

     Abro involuntariamente as pálpebras. Provo o eterno crepúsculo das horas, como se estivesse a beirar os subterrâneos do mundo. Olho para o relógio atado ao criado-mudo: 3h57min. A memória ardilosa me recorda que estava a sonhar contigo, mais uma vez. Matuto: mais uma vez. Suspiro fortemente. Tento, em vão, dispensar a cruz que atei…

Maria, mulher vazia de graça

     Conheci Maria na delegacia. Desculpe pela rima, mas não foi proposital. A história que segue é verídica. Quem dera tivesse sido inventada pela minha viçosa imaginação. Juro que a deixaria mais digestível e feliz. Entretanto, Maria existe em carne, osso e desgraça(s). Ela nada havia feito de errado para se encontrar ali; talvez seu…

O fio d’água na rocha da traição

     Escorro pela parede da sala e sento-me no chão. Fecho os olhos e uma lágrima escorre pelo meu rosto. Minhas costas vão roçando a parede na diagonal e minha cabeça pende até o chão. Apequeno-me. Sinto medo. As paredes crescem e eu vou diminuindo, minguando. Até me sentir invisível. Tornei-me microscópica. Com a traição…

O meu nascimento 

Sinto-me aquecida, mas algo me incomoda. Já não suporto mais. Tento esticar-me, abrir os braços, mover as pernas. Pouco consigo. É demasiadamente apertado onde me encontro. Percebo-me sufocada. Necessito sair. É chegada a hora. Ouço um grito. Encolho-me. O medo desperta em mim. Ouço outro grito. A dor está exposta. Sou eu a culpada? Não…

O meu destino cruel 

O homem é um animal social. Dizem que foi Aristóteles o primeiro a soltar essa. Acabo de entender “na pele” o porquê. Não precisei de grandes horas de estudo ou análises. Bastou decidir tomar um açaí, sozinha, numa lanchonete movimentada. Querido leitor, sabes o que é uma lanchonete? Não lhe subestimo, acredite. É que sempre…

Bem-vindo, Fevereiro! 

Neste novo mês que se inicia desejo que você: Viaje! Embarque para uma aventura dentro de si mesmo, o autoconhecimento é a maior jornada que tu poderás empreender durante a tua vida! Veja! Enxergue através do mais singelo olhar. Tenha em mente que é a partir da observação dos pequenos e simples detalhes que surgem…